El Chaltén e Los Antiguos

Saímos de El Calafate na terça-feira (21/10/14) a caminho de El Chaltén, onde ficamos uma noite e seguimos na manhã seguinte (22/10/14) para Los Antiguos, que fica às margens do Lago Buenos Aires e faz fronteira com a cidade chilena de Chile Chico.

El Chaltén é definida pelo Lonely Planet como um amontoado irregular de chalés e cabanas, e é considerada por muitos por aqui como a capital nacional do trekking. Essa charmosa cidade, que foi fundada há menos de 30 anos para rechaçar uma reivindicação de terras do Chile, funciona praticamente de outubro a abril, quando milhares de trekkers vêm explorar suas trilhas. No inverno (maio a setembro) a maioria dos hoteis e serviços fecham e é difícil até encontrar transporte de/para a cidade.

Da estrada já dá para entender o porquê da fama de El Chaltén. Em dias de tempo bom o Cerro Fitz Roy, cartão postal da cidade, aparece imponente e instiga os mais aventureiros a fazer a extenuante caminhada de cerca de 12 km e 10 horas (ida e volta) para atingir a sua base. Como ficamos apenas uma noite em El Chaltén, optamos por passeios mais tranquilos e visitamos o Lago del Desierto e o Chorillo del Salto.

Katia, infelizmente não conseguimos registrar a matrícula da Bianca no La Tapera. Agora temos uma desculpa para voltarmos juntos a esse lugar incrível.

Site_0224 Site_0227 Site_0226 Site_0225 Site_0228

Na manhã seguinte (22/10/14) partimos de El Chaltén rumo norte pela Ruta 40. Nossa ideia inicial era quebrar o trecho entre El Chaltén e Los Antiguos em 2 dias, parando próximo ou em  Bajo Caracoles; mas Bajo Caracoles é “uma encruzilhada de importância insignificante com estradas que, em todas as direções, levam aparentemente a lugar algum” (trecho de Na Patagônia, de 1975).

Para piorar, em Bajo Caracoles tem o único posto razoavelmente confiável e caro entre El Chaltén (542 km ao sul) e Perito Moreno (128 km ao norte), que também funciona como hotel, lanchonete, restaurante e mercado…e isso só para quem tem cara de durão. Como não é o nosso caso e ainda era começo da tarde, decidimos não encher o tanque (obrigado, tanque extra) e seguir até Perito Moreno.

Perito Moreno já é uma cidade mais organizada, com hoteis, campings e lanchonetes. Tinha até um centro de informações turísticas onde descobrimos que os hoteis pelos quais passamos e estavam fechados na verdade só abrem às 19h (como?). Achamos muito curioso o fato do hotel só abrir às 19h e não gostamos dos comentários no Lonely Planet que alguns quartos não têm janelas (lembramos de Montevidéu). Assim, decidimos seguir mais 60km até a última cidade antes de cruzar a fronteira com o Chile, Los Antiguos.

Los Antiguos é uma minúscula cidade que se auto proclama a capital da cereja. Infelizmente, como iríamos atravessar a fronteira no dia seguinte, não pudemos comprar as cerejas, mas ficamos com água na boca. Além das cerejas, Los Antiguos é conhecida pelo Lago Buenos Aires, que do lado chileno se chama Lago General  Carrera. As paisagens por aqui são incríveis (valeu pela dica, Sérgio) e vamos contornar o lago pelo lado chileno para explorar um pouco mais a região.

Site_0229 Site_0231 Site_0230

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: