Masaya e Managua

No dia 26/02 deixamos Granada. Nossa primeira parada foi na Laguna de Apoyo que está situada entre as cidades de Granada e Masaya e foi declarada reserva natural em 1991. Apesar de ser uma reserva, diversos quiosques, hoteis e pensões lotearam as margens do lago e hoje disputam os turistas.

Site_0936 Site_0937

Saindo da Laguna de Apoyo fomos para a Cidade de Masaya, que é considerada a capital do folclore e do artesanato da Nicaragua. Nossa primeira parada foi no Mercado Municipal Ernesto Fernandez, que é o maior e mais popular da cidade. Lá se pode encontrar de tudo, de galinhas empalhadas a sapatos, passando por artesanato e comida (é claro); também aproveitamos para comer uma comida típica nicaraguense em um restaurante (se é que dá para chamá-lo de restaurante) indicado por locais.

Site_0941 Site_0942 Site_0938 Site_0939 Site_0940

Em seguida vistamos o Mercado de Artesanato, que fica no centro de Masaya e é bem mais organizado e turístico. Aqui também acontecem apresentações de dança e música todas as quintas à noite, mas justo essa quinta-feira foi dedicada à dança e música árabe – legal, mas não era o que nós esperávamos.

Site_0943

Na manhã seguinte (27/02) visitamos o Parque Nacional do Vulcão Masaya. Na realidade existem dois vulcões no parque, o Masaya e o Nindirí, com um total de 5 crateras, mas o Masaya o único dos 2 que se encontra em atividade. Esse vulcão é considerado um dos vulcões mais ativos e violentos da Nicaragua (a sua última erupção aconteceu em 2003) e segundo pesquisadores, uma das maiores erupções da Terra nos últimos 10.000 anos aconteceu no Masaya.

Popularmente o vulcão Masaya é conhecido como “Boca do Inferno” e muitos acreditam que ele é uma das 6 portas para o inferno (as outras são: Vulcão Hekla – Islândia; Vulcão Erta Ale – Etiópia; Caverna Xibalba – Guatemala; Caverna Hade – Grécia; e o Purgatório de Saint Patrick – Irlanda). Talvez por isso tenha uma cruz próximo a cratera fumegante do vulcão.

Site_0945 Site_0946 Site_0947 Site_0944

No começo da tarde chegamos em Managua. A capital da Nicaragua não tem grandes atrações e alguns bairros são pouco seguros para andar, mas mesmo assim decidimos ficar uns dias por aqui para recarregar as pilhas.

Managua foi quase totalmente destruída em um forte terremoto em 1972 e muitas regiões da cidade ficaram abandonadas por décadas; um exemplo do abandono é a Catedral de Managua, que foi uma das poucas construções que sobreviveram. Existe um projeto de revitalização em andamento, mas pelo visto serão necessários mais uns bons anos para sua conclusão.

Site_0953 Site_0949 Site_0952 Site_0954 Site_0950

O presidente da Nicaragua, Daniel Ortega, é um dos presidentes latino americanos simpatizantes do Bolivarianismo idealizado por Hugo Chávez. Ficamos impressionados ao ver um monumento a Simon Bolivar com as bandeiras da Nicaragua e Venezuela e a imagem do Hugo Chávez nos extremos da Avenida Simon Bolivar.

Site_0951 Site_0948

Um comentário em “Masaya e Managua

  1. Pingback: ZANZANDO – MASAYA E MANAGUA | Overlander Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: