O Vale Sagrado dos Incas

No dia 03/12/14 desmontamos o acampamento de Cusco e partimos para o Vale Sagrado. Os Incas construíram várias vilas, templos e palácios nesse vale que segue o curso do Rio Urubamba de Pisac até Ollantaytambo. Juntamente com Cusco e Machu Picchu, o Vale Sagrado é um dos principais destaques do Peru e vale muito a pena procurar um tour que pode ser de 1 dia ou mais a partir de Cusco para conhecer esse lugar incrível.

Nossa primeira parada saindo de Cusco foi em Q’enqo, que servia como um templo, possivelmente utilizado em rituais de fertilidade e celebrações de solstícios e equinócios. Logo na entrada existe uma pedra que algumas pessoas juram ser um puma – nós não conseguimos enxergar, mas enfim…

Site_0516

Em seguida visitamos a fortaleza de Pukapukara, que pode ter servido como um posto de guarda na estrada que ligava o Vale Sagrado a cidade de Cusco.

Site_0517 Site_0518

Também passamos pela vizinha Tambomachay e ficamos impressionados com o sofisticado sistema de aquedutos e canais de pedra.

Site_0519 Site_0520

Entrando propriamente no Vale Sagrado, nossa primeira parada foi nas ruínas de Pisac. Essa incrível fortaleza situada no alto de um despenhadeiro e rodeada de terraços verdes garantem vistas de tirar o fôlego. Infelizmente pouco se sabe sobre o real propósito dessa cidade e para nossa tristeza, o passeio foi abreviado por uma forte chuva que caiu justo quando estávamos no ponto mais distante da entrada. Mesmo assim, ficamos impressionados com a excelente condição de conservação desse local.

Site_0521 Site_0523 Site_0522

Antes de chegar em Ollantaytambo paramos para almoçar em Urubamba, no hotel Sol y Luna. Achamos o lugar super agradável e ainda assistimos uma apresentação com cavalos durante o almoço. Esse hotel, juntamente com o Sonesta e o Casa Andina, são os melhores lugares para se hospedar no Vale Sagrado…quem sabe um dia, se voltarmos a esse lugar, não ficamos em um desses hotéis.

Site_0526 Site_0525 Site_0524

Chegamos em Ollantaytambo no final da tarde e no dia seguinte (04/12/14) visitamos Machu Picchu. Só fomos conhecer de fato as ruínas de Ollantaytambo no dia 05/12/14 pela manhã e ficamos impressionados – não é a toa que todos os guias de viagem classificam Ollantaytambo, Machu Picchu e Saqsaywaman como as melhores atrações.

Essa enorme fortaleza foi construída pela elite Inca com templos, terraços e canais de irrigação. O mais interessante é a posição estratégica da seção superior, no alto de mais de 200 degraus. Esse local serviu de abrigo para o rebelde Manco Inca, que tinha fugido após a tomada de Saqsaywaman pelos espanhóis em 1537.

Site_0540 Site_0543 Site_0542 Site_0541

Saindo de Ollantaytambo, passamos por outro local interessante – Moray. Não se sabe ao certo qual a finalidade desse local com seus concêntricos terraços circulares, mas a perfeição dos círculos instiga a nossa curiosidade. O mais difícil é o acesso até esse local, que se dá por estradas secundárias de rípio, mas o visual do caminho é uma atração a parte.

Site_0544 Site_0545 Site_0546

Última parada no Vale Sagrado dos Incas, vistamos a cidade de Chinchero, onde uma igreja católica foi construída no início do século XVII sobre as fundações do palácio Inca Tupac Yupanqui, que datava do final do século XV.

Site_0550 Site_0549 Site_0547 Site_0548

Esse foi o final do nosso passeio pelo Vale Sagrado. Todos os locais visitados faziam parte do Boleto Turístico. Assim, se você tiver tempo e ânimo para percorrer o Vale Sagrado como nós fizemos, fica a dica desse ingresso que por um valor único, te dá a possibilidade de visitar vários lugares diferentes. Talvez ele não seja tão útil em Cusco, mas certamente faz diferença para quem percorre o Vale Sagrado.

No final do dia chegamos a Abancay, mas ainda ficamos retidos por 1h30 a cerca de 150 km de Abancay, aguardando a abertura da estrada que estava em obras e de quebra fomos parados pela polícia peruana pela primeira vez (tudo tranquilo).

Site_0551

Hoje (06/12/14) saímos de Abancay com destino a Nasca, famosa pelas excepcionais e enigmáticas Linhas de Nasca, que são cerca de 70 figuras gigantesca de plantas e animais. No caminho, o mais curioso foi começar com um dia muito bonito de céu azul e calor, passando por frio e neve (sim, neve em Dezembro) ao meio dia a mais de 4.500 metros de altitude, para terminar novamente com céu azul e calor…vai entender esse tempo maluco!

Site_0555 Site_0552 Site_0553 Site_0554 Site_0556

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: