Puerto Madryn e a Península Valdés

Ontem (01/10/14) rodamos quase 700km de retas intermináveis e tediosas entre Bahía Blanca e Puerto Madryn. Do que vimos até agora, podemos dizer uma coisa das estradas argentinas: apesar da crise, todas  estão em ótimas condições (bem sinalizadas e com um ótimo asfalto) – bem que o Brasil poderia fazer o mesmo.

Nesse trecho passamos por 3 barreiras fito-sanitárias, sendo que na primeira tivemos que abrir a geladeira, abrir a porta traseira e até o capô. Ficamos intrigados com a revista do motor e perguntamos para o agente se alguém já tinha escondido algo lá, no que ele respondeu que nós não imaginamos onde as pessoas escondem carne – nisso lembramos da nossa amiga Eleni, que escondeu dois bifes na bolsa ao atravessar a fronteira para o Chile e acabamos concordando com a revista desse lugar inusitado…kkk

Ainda no caminho cruzamos uma espécie de santuário (já tínhamos visto alguns pela estrada, mas nada desse tamanho). Este em especial era dedicado a uma figura religiosa de devoção popular na Argentina chamado Gauchito Gil. Segundo a versão mais difundida da sua história, Antonio Gil foi um gaúcho, trabalhador rural, que foi assassinado em 1878 e desde então muitas pessoas atribuem a ele a cura de diversas doenças e enfermidades.

Site_0109 Site_0108

No final da tarde chegamos em Puerto Madryn. Como comentamos em um post anterior, não tínhamos planejado ficar em Puerto Madryn, apenas passar uma noite aqui a caminho do Ushuaia. Mas, pesquisando a nossa rota, descobrimos que Puerto Madryn é vizinha da Península Valdés, importante reserva natural, que foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1999.

Obviamente não poderíamos passar por aqui sem conhecer esse lugar que abriga Leões Marinhos, Elefantes Marinhos, Pinguins de Magalhães, Orcas (sim, baleias Orcas) e as Baleias Francas Austrais, que estão na lista de espécies ameaçadas de extinção. A entrada é controlada e cobrada (160 ARS por pessoa) e a península tem mais de 4.000 km2 com mais de 400 km de estradas de rípio (cascalho). Nosso passeio de Puerto Madryn à Península Valdés acrescentou 430 km ao hodômetro do Godzilla – então a dica é se programar para conhecer os pontos mais interessantes ou ter mais de 1 dia para se perder pelo parque.

Site_0111

Vimos muitas ovelhas (ainda existem algumas fazendas dentro da reserva), Pinguins de Magalhães chocando seus ovos, Leões Marinhos e Elefantes Marinhos tomando sol na praia (que é exclusiva para eles), mas nada das baleias. Só no final do dia, quando já estávamos retornando para Puerto Madryn, é que avistamos as primeiras baleias; e para fechar com chave de ouro, paramos em uma praia onde as baleias francas estavam a cerca de 25 metros de nós, dando um verdadeiro show.

Que dia incrível!

Site_0113 Site_0112 Site_0114

Site_0110 Site_0116 Site_0115 Site_0117

6 comentários em “Puerto Madryn e a Península Valdés

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: