Península Kenai

Nossos primeiros dias no Alasca foram debaixo de chuva. Assim que cruzamos a fronteira no dia 30/06/15 começou a chover e não parou até chegarmos a Anchorage no dia 01/07/15. É uma pena pois o caminho de Tok até Anchorage é lindo, cheio de montanhas e geleiras, mas mal conseguimos ver os picos cobertos de neve em razão do tempo.

Site_1996 Site_1997 Site_1998

Chegamos em Anchorage e, como o tempo tinha melhorado, ficamos em um camping próximo ao centro da cidade, mas não fizemos nada nesse dia pois queríamos organizar o roteiro dos próximos dias. No fim da tarde a Rosely e o Amabry do Vamos Pro Alasca (https://www.facebook.com/vamosproalasca) chegaram e depois de brindarmos as nossas conquistas, ficamos batendo papo e atualizando os últimos acontecimentos até tarde – muito bom!

Site_1999

Na manhã seguinte (02/07/15) seguimos sentido Sul pela Península Kenai. Nosso destino era a Cidade de Seward, a cerca de 240 quilômetros de Anchorage, mas o melhor do dia foi a estrada que leva até lá. As paisagens são dignas de um cartão postal e até vimos algumas Dall Sheeps, que são típicas dessa região da América do Norte, mas muito difíceis de se encontrar.

Site_2012 Site_2013 Site_2014 Site_2000 Site_2001

No começo da tarde chegamos na simpática cidade de Seward e descobrimos que ela havia sido invadida por uma verdadeira horda de turistas em seus gigantescos RVs, que estão aqui para comemorar o Dia da Independência dos EUA (4 de julho). Nesse dia acontece a Mount Marathon Race que parte do centro de Seward, sobe as Montanhas do Kenai a 930 metros e termina no mesmo lugar da largada. Por conta desse evento e do feriado de 4 de julho, foi muito difícil encontrar um lugar para ficar, mas demos um jeito.

Site_2005 Site_2009

Depois de resolver a questão da acomodação, fomos caminhar pela cidade. Vimos alguns barcos de pesca charter retornarem cheios de salmão vermelho do Alasca fresquinho (hum!), passeamos pelas ruas de Seward, colocamos a mão na água do mar gelada (não dá para entrar de jeito nenhum) e visitamos alguns pontos históricos. Um deles é particularmente interessante, o marco zero da Iditarod Trail.

Site_2002 Site_2003 Site_2010 Site_2006 Site_2008

A Iditarod Trail é uma trilha que liga a cidade de Nome (noroeste do Alasca) a Seward, passando pela cidade de Iditarod. Durante a corrida do ouro no Alasca no final do século 19, ela foi importante para levar suprimentos aos campos de mineração e exportar o ouro extraído do Alasca pelo porto de Seward. Em 1978 a Iditarod Trail foi reconhecida como uma Trilha Histórica Nacional pelo governo dos EUA.

Site_2007

Apesar dessa origem interessante, talvez essa trilha seja mais conhecida pela corrida anual de trenós puxados por cachorros que parte de Anchorage e termina mais de 1800 quilômetros depois em Nome. Durante a corrida, que pode levar mais de 10 dias, os competidores (homens, mulheres e cachorros) enfrentam temperaturas que chegam a -100 Fahrenheit (-73 Celsius).

O recorde dessa competição que começou em 1973 pertence a Dallas Seaver que em 2014 terminou a corrida após 8 dias, 13 horas, 4 minutos e 19 segundos. Dallas também foi o mais novo competidor a ganhar a corrida (25 anos). Dá para imaginar participar de uma competição como essa? Depois nós que somos loucos!

Imagens da Internet

Site_1994

Site_1995

À noite (modo de dizer pois só escureceu às 23h35 e amanheceu pouco depois das 4 da manhã) comemos um Carangueijo das Neves do Alasca (sim, aquele que aparece no programa do Discovery – Deadliest Catch!). O pernudo (como diz a Rosely do Vamos pro Alasca) pode chegar a medir um metro e meio e é servido apenas cozido, com uma manteiga derretida e um pouco de limão. Muito bom!

Site_2011

Na manhã seguinte (03/07/15) decidimos retornar a Anchorage e ficar parados até depois do feriado de 4 de julho, mas antes de sair de Seward visitamos o Exit Glacier, que é uma geleira localizada dentro do Kenai Fjords National Park. Essa é a única geleira que se pode visitar sem ter que fazer um passeio de barco. Do estacionamento do parque é uma caminhada curta de cerca de 20 minutos até a geleira. Na volta ainda encontramos um alce (muito assustado) correndo ao lado da pista. Muito legal!

Site_2016 Site_2018 Site_2017 Site_2015

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: